Vice-ministro japonês renuncia após escândalo

O vice-ministro de Reforma Administrativa japonês, Genichiro Sata, renunciou nesta quarta-feira devido a seu envolvimento em um caso relacionado com fraude contábil dentro dogovernamental Partido Liberal Democrata (PLD). A renúncia representa um novo golpe para o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, após três meses no cargo, ao ser atingido nas últimas semanas por vários escândalos. Sata, de 54 anos, anunciou seu abandono do cargo um dia depois que o chefe do executivo japonês o ordenasse avaliar as acusações da fraude no qual se viu envolvido, para, em seguida, dar explicaçõespúblicas. Essas alegações referem-se a relatórios de recursos do PLD apresentados ao governo indicando que um grupo de apoio ao partido, baseado em Tóquio e dissolvido no mês passado, tinha gastado 78 milhões de ienes (US$ 656.000) entre 1990 e 2000 em despesas de manutenção de um escritório que não existia. Caso fique provada a veracidade deste caso, o vice-ministro de Reforma Administrativa poderia enfrentar acusações judiciais. Procedente da província de Gunma, ao norte de Tóquio, Sata cumpre seu sexto mandato de deputado na Câmara dos Deputados e chegou a ser vice-secretário-geral do PLD. O escândalo acontece uma semana depois da saída do chefe da Comissão Fiscal do governo, Masaaki Honma, devido às acusações de que mantinha sua amante em um apartamento destinado ao uso de altos funcionários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.