Vice-premiê de Israel aprova presença da ONU no Líbano

O vice-primeiro-ministro israelense, Shimon Peres, disse nesta quinta-feira em Roma que a presença da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Finul) pode ser "uma ótima garantia de que a guerra não se repetirá".Peres, que está na capital italiana para se reunir com oprimeiro-ministro da Itália, Romano Prodi, disse à televisão Sky TG24 que "a simples presença" dos soldados da Finul reforçada no território do sul do Líbano "é importante"."O Líbano meridional é um lugar pequeno e haverá 30.000 soldados, que serão uma ótima garantia de que a guerra não se repetirá", disse o vice-primeiro-ministro israelense e Prêmio Nobel da Paz.Ele também lembrou que antes o papel da Finul era de observador, e agora, por outro lado, os capacetes azuis "têm o direito de se defender e usar as armas".Peres afirmou também que Israel "não queria a guerra" com oLíbano, mas teve que fazer isso devido aos ataques do Hezbollah, e disse que o objetivo de seu país "não é vencer uma guerra, mas evitá-la".Sobre a possibilidade de que haja uma força de interposição da ONU em Gaza, Peres disse que "talvez um êxito (da missão das Nações Unidas) no Líbano poderia ajudar".O vice-primeiro-ministro se referiu também às tensões com o Irã, por causa de seu programa nuclear, e afirmou que esse país "não é um problema para Israel, mas para o resto do mundo"."Ninguém está disposto a deixar que o Irã tenha a bomba atômica junto com uma política tão agressiva". Acrescentou, também que "será o mundo o (responsável) por se ocupar do Irã, não Israel". Ele se referiu às relações com a Síria e afirmou que Israel queria dialogar com esse regime, mas "o problema é que eles querem um monólogo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.