Vice-premier iraquiano escapa de atentado em Bagdá

O vice-primeiro-ministro sunita do Iraque, Salam al-Zubaie, ficou gravemente ferido nesta sexta-feira, 23, num ataque suicida no interior de uma mesquita privada no jardim de sua casa, localizada nas proximidades da Zona Verde de Bagdá. Além do homem-bomba, outras nove pessoas morreram e 14 ficaram feridas. Um carro-bomba estacionado nas proximidades explodiu quase simultaneamente, informou a polícia.Citando uma "fonte especial", a tevê estatal Iraqiya, divulgou que o homem-bomba era um guarda-costas de Zubaie.O ataque ocorreu pouco depois de um grupo associado à Al-Qaeda, o Estado Islâmico do Iraque, divulgar uma mensagem na internet acusando o vice-premier sunita de ser um marionete "dos cruzados ocupantes".Ziad al-Ani, um líder do Partido Islâmico Sunita do Iraque, informou que o vice-premier estava em "sérias condições" na UTI de um hospital militar dos EUA na Zona Verde. Ele explicou que estilhaços penetraram no tórax de Zubaie, um dos dois vices do primeiro-ministro Nouri al-Maliki. O escritório de Maliki informou que o premier visitou Zubaie no hospital e que médicos disseram que não há necessidade de o paciente ser transferido para tratamento no exterior.Ani relatou que o homem-bomba detonou um colete repleto de explosivos dentro da mesquita durante as tradicionais orações de sexta-feira. O salão ficou devastado, com poças de sangue no chão e marcas de estilhaço até no teto.Entre os 14 feridos estavam cinco guarda-costas de Zubaie. Um assessor, um irmão e um sobrinho de Zubaie, e o Imam da mesquita também morreram no ataque.A mesquita foi construída no jardim da mansão de Zubaie numa área residencial atrás do Ministério do Exterior, nas proximidades da Zona Verde, a região murada e altamente guardada que abriga as Embaixadas dos EUA e da Grã-Bretanha e a sede do governo iraquiano.O ataque desta sexta-feira ocorreu um dia depois que um foguete Katiusha explodiu a 50 metros do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, durante uma entrevista coletiva na Zona Verde. Em pânico, o secretário se escondeu atrás do bancada em que discursava, pouco depois de dizer que sua visita-surpresa mostrava que o Iraque estava no "caminho da estabilidade".Texto ampliado e atualizado às 19h48

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.