Vice-premier polonesa acusada de ajudar comunistas renuncia

A renúncia da vice-premier e ministra de Finanças, Zyta Gilowska, foi aceita nesta sexta-feira pelo primeiro-ministro Kazimierz Marcinkiewicz. Ela é acusada oficialmente de ter sido colaboradora da Polícia comunista.Em entrevista coletiva, Zyta informou que há dez dias estava sofrendo pressões para deixar o cargo. A vice-premier tinha exigido que fossem apresentadas provas de seu envolvimento com a polícia comunista, o que não aconteceu."Nunca fui confidente, nunca colaborei com a polícia. Ou seja, todos os documentos que possam existir sobre isso são falsos", afirmou.Zyta informou que pôs seu cargo à disposição, porque as acusações formuladas pelo Porta-voz do Interesse Público (ombudsman) poderiam deteriorar a imagem do Executivo.SucessãoO primeiro-ministro acrescentou que tinha pedido oficialmente ao presidente da República a nomeação de Pawel Wojciechowski como novo ministro. Wojciechowski colabora há seis meses com o chefe do governo na elaboração da reforma do sistema tributário e do projeto de orçamento para o ano 2007.Zyta era conhecida como defensora da moderação das despesas orçamentárias e a simplificação do sistema fiscal, além da redução da carga tributária.Marcinkiwicz afirmou que o substituto continuará sendo uma garantia de que a política econômica polonesa não mudará e manterá sua estabilidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.