Vice-premier sérvio se recusa a renunciar

O vice-primeiro-ministro da Sérvia, Vuk Obradovic, recusa-se a renunciar ao cargo, apesar da decisão tomada pela coalizão governista de demiti-lo devido a um escândalo sexual, informou hoje a imprensa sérvia. Obradovic, presidente do Partido Social Democrata, foi recentemente acusado por um grupo de associados de assediar sexualmente suas colegas do sexo feminino. O vice-premier sobreviveu a uma moção de censura dentro de seu próprio partido, mas outros líderes da coalizão governista da Sérvia, que reúne 18 agremiações políticas, decidiram na sexta-feira que ele não pode mais continuar servindo ao governo. Apesar de ter perdido a base de sustentação, Obradovic recusa-se a renunciar. Ele alega que tudo não passa de uma conspiração para afastá-lo da presidência de uma comissão governamental criada para investigar acusações de corrupção e abuso de poder do regime de Slobodan Milosevic.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.