Vice-presidente cubano pede renúncia de Bush

O vice-presidente cubano Carlos Lage afirmou neste domingo que o presidente dos Estados Unidos George W. Bush deveria renunciar e ao alertou que em Cuba não haverá transição, mas sim mais revolução. Discursando em um evento organizado por uma central sindical e pela federação de estudantes universitários e na condição de paraninfo, Lage reiterou as habituais críticas que os dirigentes cubanos fazem ao governo Bush e elogiou a troca de governos da Bolívia e Venezuela. Os dois países, junto com Cuba, foram qualificados por Lage como "a alternativa bolivariana para os povos da América". Em relação a Bush, Lage afirmou que o presidente dos Estados Unidos "deve renunciar, todos os povos do mundo devem fazer essa exigência". "Acusamos Bush de matar milhares de civis inocentes no Iraque, pelas prisões secretas, pelas torturas, por enviar jovens de seu país à morte no Iraque", justificou Lage. "Se (as tropas dos Estados Unidos) continuarem no Iraque, certamente terão uma derrota", assegurou. "Porém, se foram embora também serão derrotados, mas ao menos vão evitar mais mortes e destruição". Depois de dar "um cumprimento e um abraço do companheiro Fidel", Lage afirmou que o presidente cubano está "se recuperando da operação a qual foi submetido no fim de julho e que o obrigou a ceder temporariamente a presidência de Cuba a seu irmão Raul Castro. Lage representou Cuba na XVI Cúpula Ibero-americana, realizada em Montevidéu, com 22 chefes de governo que se reuniram durante três dias na capital uruguaia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.