Vice-presidente da Colômbia considera renunciar

O vice-presidente da Colômbia, Angelino Garzón, disse nesta terça-feira que considera renunciar devido a seu estado de saúde e que só espera o Congresso ou o presidente Juan Manuel Santos pedirem o cargo.

AE, Agência Estado

23 de outubro de 2012 | 14h54

Garzón, de 65 anos, não explicou por que quer esperar que a renúncia seja solicitada, em vez de apresentá-la diretamente. Na segunda-feira ele anunciou que está com um câncer na próstata e que já iniciou as sessões de radioterapia para eliminar o tumor.

Se a saída do vice-presidente se concretizar, o Congresso colombiano deverá eleger um sucessor para o resto do mandato, que termina em 2014. Esta não é a primeira vez que ele enfrenta problemas de saúde. Em 2010 sofreu um ataque no coração e neste ano teve um derrame, do qual ainda se recupera.

Garzón e Santos desentendem-se algumas vezes, por isso sua saída não é vista como uma crise política para o presidente. Ex-sindicalista, em algumas ocasiões Garzón criticou o governo por causa de iniciativas que ele afirmou serem prejudiciais aos trabalhadores. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbiavice-presidenterenúncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.