Vice- presidente da Venezuela renuncia ao cargo

Ramón Carrizález também era ministro da Defesa e teria alegado razões pessoais.

BBC Brasil, BBC

25 de janeiro de 2010 | 19h27

O vice-presidente e ministro da Defesa da Venezuela, Ramón Carrizález, renunciou ao cargo, segundo informações da imprensa local nesta segunda-feira.

Carrizález teria afirmado que a decisão foi tomada por razões "estritamente pessoais".

De acordo com o jornal venezuelano El Universal, de Caracas, o general Carlos Mata Figueroa seria o substituto de Carrizález no Ministério. O nome do novo vice-presidente, no entanto, ainda não foi anunciado.

O jornal afirma ainda que a renúncia de Carrizález e também de sua esposa, a ministra do Meio Ambiente, Yubirí Ortega, teriam sido apresentadas ao governo de Hugo Chávez no último sábado.

O jornal El Tiempo, da Colômbia, diz que o vice-presidente teria afirmado que sua saída não está relacionada com as recentes decisões do governo venezuelano e que qualquer outra versão diferente sobre sua renúncia seria "falsa e tendenciosa".

Explicações

De acordo com fontes próximas ao Palácio de Miraflores, duas hipóteses estão sendo consideradas para explicar a saída de Carrizález.

Uma delas é que ele teria discutido com um ministro durante reunião de gabinete, e o presidente venezuelano, Hugo Chávez, teria dado razão ao ministro, desautorizando o vice-presidente.

Outro rumor é de que Yubirí Ortega teria tido uma dura discussão com Chávez, o que teria motivado a renuncia do casal.

Enquanto o novo vice-presidente não for nomeado, no caso de ausência do presidente venezuelano, a presidente do Congresso, Cília Flores, assume o cargo interinamente.

Colaborou Claudia Jardim, de Caracas para a BBC Brasil BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.