Vice-presidente do Egito, Suleiman propõe diálogo com a oposição

Debate deve incluir reforma constitucional e legislativa, um dos principais pedidos dos manifestantes

31 de janeiro de 2011 | 19h50

CAIRO - O vice-presidente do Egito, Omar Suleiman, disse nesta segunda-feira, 31, que o presidente Hosni Mubarak pediu que ele inicie um diálogo com todos os partidos políticos, inclusive sobre reformas constitucionais e legislativas, uma das principais reivindicações expressas pelos manifestantes anti-Mubarak.

Veja também:  

especial Infográfico:  A revolução que abalou o mundo árabe 

 

blog Tempo Real:  Chacra acompanha a situação no Egito

 

As emendas constitucionais incluem flexibilizar as restrições entre os políticos qualificados para disputar a próxima eleição presidencial. "O presidente me pediu hoje para contatar imediatamente todas as forças políticas para iniciar um diálogo sobre as questões levantadas, que também envolvem reformas constitucionais e legislativas, de forma a resultar em alterações claras e em um calendário específico para sua implementação", disse Suleiman em discurso televisionado.

As emendas constitucionais são as principais reivindicações de grupos de oposição egípcios e de manifestantes que protestam nas ruas desde a terça-feira passada no Cairo e em outras cidades para pressionar Mubarak a renunciar depois de 30 anos no poder e a convocar eleições diretas.

Na esfera econômica, o vice afirmou que o presidente tem funcionários do governo para "tomar medidas para restaurar a confiança no setor".

Os distúrbios no Egito foram inspirados na "Revolução do Jasmim", que derrubou o presidente da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali, há duas semanas. No Iêmen e na Jordânia também foram registradas manifestações.

Leia ainda:

link Último provedor de internet do Egito deixa de funcionar

link Exército do Egito reconhece levante 'legítimo' e descarta uso da violência

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoprotestosMubarak

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.