Foto: Mike Segar|Reuters
Foto: Mike Segar|Reuters

Vice-presidente dos EUA, Mike Pence, virá ao Brasil em maio

Em comunicado, Casa Branca diz que o vice-presidente 'tem a honra de representar os Estados Unidos' a pedido do presidente americano, Donald Trump

Mateus Fagundes e Nicholas Shores, O Estado de S.Paulo

10 Abril 2018 | 17h20

São Paulo - A Casa Branca disse há pouco em comunicado enviado à imprensa que o vice-presidente dos Estados Unidos, o republicano Mike Pence, vai visitar o Brasil no mês de maio. A data exata não foi informada. A confirmação ocorre depois de o o presidente americano, Donald Trump, cancelar nesta terça-feira, 10, seu plano de viajar para a América do Sul no fim desta semana, par participar da Cúpula das Américas.

+ Trump cancela participação na Cúpula das Américas para tratar de questão síria

Em texto que explica os motivos do envio de Pence para a Cúpula das Américas, a Casa Branca disse que o vice-presidente "tem a honra de representar os Estados Unidos" a pedido do presidente americano, Donald Trump.

"Pence espera poder promover uma política que leve a uma economia ainda mais forte nos Estados Unidos e trabalhe com nossos aliados próximos na América Latina para, coletivamente, responsabilizar os atores não democráticos da região por suas ações", comentou a Casa Branca.

O texto da Casa Branca destacou ainda a viagem que Pence fez à região no ano passado e o apoio que ele deu à época a dissidentes do regime venezuelano.

Tropas sírias estão em alerta e se preparam para possível ataque americano

Carta

A última vez que o Brasil recebeu a visita de um vice-presidente dos Estados Unidos foi em 2014, quando o democrata Joe Biden, que fazia parte do governo Barack Obama, veio assistir a jogos da Copa do Mundo de Futebol. Ele se reuniu com Michel Temer, que à época também era vice-presidente.

Porém, na famosa carta de rompimento com o governo da então presidente Dilma Rousseff, em dezembro de 2015, Temer ressaltou que um dos motivos que o afastava da mandatária era o fato de, na posse do segundo mandato, em janeiro daquele ano, o emedebista não ter sido convidado para uma reunião em privado entre a petista e Biden.

"O que é que houve que numa reunião com o vice-presidente dos Estados Unidos, o do Brasil não se faz presente? Antes, no episódio da 'espionagem' americana, quando as conversar começaram a ser retomadas, a senhora mandava o Ministro da Justiça, para conversar com o vice-presidente dos Estados Unidos. Tudo isso tem significado absoluta falta de confiança", escreveu Temer à época.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.