Vice-presidente dos EUA visita Geórgia e critica Rússia

O vice-presidente dos Estados Unidos, Dick Cheney, criticou hoje o que qualificou como "uma tentativa ilegítima e unilateral" da Rússia de modificar pela força as fronteiras da Geórgia. Em Tbilisi, segunda escala de um giro por três ex-repúblicas soviéticas, Cheney assegurou ao presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, que os Estados Unidos estão "plenamente comprometidos" com a intenção georgiana de ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). "A Geórgia estará em nossa aliança", afirmou.A viagem evidencia a intenção americana de continuar estreitando relações com países que a Rússia considera parte de sua esfera de influência apenas algumas semanas depois de um breve conflito armado entre Moscou e Tbilisi."Os Estados Unidos estão com a Geórgia, uma vez que vocês se ocupam de superar uma invasão de seu território soberano e uma tentativa ilegítima e unilateral de alteração das fronteiras de seu país, o que foi universalmente condenado pelo mundo livre", disse Cheney. Ainda segundo ele, "a ação russa lança graves dúvidas sobre as intenções de Moscou e sua confiabilidade como parceiro internacional".A invasão russa ocorreu em 8 de agosto, um dia depois de forças georgianas terem lançado uma ofensiva militar contra a Ossétia do Sul, uma região separatista da Geórgia que rompeu com Tbilisi no início da década passada.Depois do conflito, a Rússia reconheceu as declarações de independência das regiões georgianas da Abkházia e da Ossétia do Sul, feitas no início da década de 1990. Ambas possuem grandes comunidades russas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.