Vice-presidente iraquiano critica decisão de Al-Maliki

O vice-presidente iraquiano, o sunita Tareq Al-Hashemi, advertiu nesta quarta-feira que a decisão do primeiro-ministro do Iraque, o xiita Nouri al-Maliki, de retirar os postos de controle no bairro xiita de Cidade de Sadr permitirá o "movimento livre dos terroristas". Em comunicado, Hashemi qualificou de "surpreendente" a decisão de Maliki de pôr fim às medidas de segurança extraordinárias impostas durante seis dias no bairro, que fica na região leste de Bagdá, pelas tropas americanas para buscar um soldado seqüestrado. "Após a melhora dos últimos dias da segurança em Bagdá, graças às medidas de segurança adotadas no terreno, nos surpreendemos com uma decisão unilateral do primeiro-ministro", insistiu Hashemi. O vice-presidente iraquiano afirmou também que o assunto da segurança, especialmente em Bagdá, é de responsabilidade da Comissão Política para a Segurança Nacional, que normalmente revisa os planos de segurança na capital e os altera. Na terça-feira, Maliki ordenou que os postos de controle fossem retirados e que as entradas e saídas de Cidade de Sadr e de todos os bairros de Bagdá fossem reabertas. O anúncio de Maliki foi feito depois que religiosos xiitas anunciaram uma greve geral em protesto contra as fortes medidas de segurança impostas no bairro, considerado um bastião das milícias do Exército Mehdi, lideradas pelo clérigo xiita Moqtada al-Sadr.

Agencia Estado,

01 Novembro 2006 | 10h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.