Vice-presidente Kenyatta vence eleição do Quênia

Uhuru Kenyatta, processado por crimes contra a humanidade pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), foi eleito presidente do Quênia no primeiro turno - realizado na segunda-feira - com 50,03% dos votos, anunciou ontem à noite a Comissão Eleitoral.

NAIRÓBI, O Estado de S.Paulo

09 de março de 2013 | 02h36

Kenyatta, acusado de envolvimento na organização da violência ocorrida após as eleições de 2007, que deixou mais de mil mortos, obteve 6.173.433 votos de um total de 12.338.667 cédulas, pouco mais do que a maioria necessária, informou a Comissão Eleitoral, que só anunciará os resultados oficiais hoje às 11 horas locais.

O principal adversário de Kenyatta, o primeiro-ministro Raila Odinga, obteve 43,28% (5.340.546 votos).

A anterior derrota de Odinga nas eleições de 2007 - para o atual presidente Mwai Kibaki - provocou várias semanas de violência sem precedentes no país desde a independência, em 1963. Além de mil mortos, os confrontos sectários levaram mais de 600 mil pessoas a deixar suas casas. Kenyatta pertence à tribo majoritária kikuyo e Odinga é membro da tribo luo.

A vitória de Kenyatta - vice-premiê e filho do ex-presidente que é considerado o herói da independência queniana - constituirá um dilema para os grandes doadores ocidentais ao governo do Quênia, pelo fato de ele ter sido processado pelo TPI.

Problemas técnicos atrasaram a apuração, que tinha sido questionada por ambos os candidatos, mas, segundo observadores internacionais, ela foi confiável. As eleições são consideradas um teste para o Quênia, a maior economia do leste da África, depois do derramamento de sangue ocorrido em 2007. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.