Vice-primeiro-ministro iraquiano ratifica retorno da ONU ao país

O vice-primeiro-ministro iraquiano, Tarek Aziz, ratificou nesta terça-feira em Bagdá que o Iraque aceita a volta incondicional dos inspetores de desarmamento da ONU para demonstrar que o país não possui um arsenal de armas de destruição em massa e evitar uma guerra na região. ?O pretexto utilizado para lançar uma agressão fracassou?, declarou Aziz na abertura de uma conferência internacional de apoio ao fim do embargo a Israel. Azziz ainda comentou não acreditar que esta decisão irá mudar a determinação dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha de continuar tentando a concretização de um ataque militar ao Iraque. ?O objetivo da política norte-americana é se apropriar do petróleo do Golfo Pérsico.? As declarações de Aziz acontecem depois que o ministro iraquiano de Assuntos Exteriores, Naji Sabri, entregou nesta segunda-feira uma carta ao secretário-geral da ONU, Kofi Annan, informando a decisão do Iraque em autorizar a volta dos inspetores. Os inspetores da ONU deixaram Bagdá em dezembro de 1998. O presidente norte-americano George W. Bush afirmou que a volta dos inspetores ao Iraque seria a única medida para impedir a adoção da ONU de avaliar uma campanha bélica internacional contra Bagdá, exigida por Bush em seu discurso na semana passada nas Nações Unidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.