Vida de Chávez "corre perigo"

A vida do presidente deposto Hugo Chávez "corre um grave perigo", denunciou hoje o embaixador da venezuela na Organização dos Estados Americanos (OEA), Jorge Valero. O diplomata revelou que pediu à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) "que viaje urgentemente a Venezuela para averiguar o risco de morte em que se encontro o presidente Chávez"."Se a OEA não aplicar a carta democrática" no caso da Venezuela, disse Valero, "perderá toda a seriedade frente a história", disse com atitude firme e desafiante. Valero se declarou "na plenitude de minhas funções", representando a Chávez ante a OEA.A atitude de Valero surpreendeu por ser completamente diferente da demonstrada na manhã deste sábado quando chegou à sede da OEA; estava cansado e frustrado. Os jornalistas em Washington foram convocados para uma coletiva com o embaixador esperando pela renúncia de Valero. A coletiva da manhã foi cancelada e, à noite, Valero pediu que Chávez voltasse ao poder.A OEA deve enviar no domingo uma missão encabeçada pelo secretário geral da organização, César Gaviria. Valero pediu que a missão exija falar com Chávez para perguntar-lhe se realmente renunciou à presidência. Valero afirmou que se a OEA não agir agora, "estaria contribuindo para a ressureição em todo o continente de sinistros golpes de Estado". "Peço à OEA para que restitua o estado de direito e para que o presidente Chávez seja restituído no exercício de suas funções."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.