Vídeo de Bin Laden enfurece americanos

Um homem que se encontrava no World Trade Center em 11 de setembro esteve a ponto de destruir sua televisão. O pai de uma das vítimas do atentado não parava de mudar o canal, tentando evitar o rosto que aparecia na tela. Na Califórnia, um fuzileiro naval afirmou: "Ele deve ser eliminado".Ver um sorridente Osama bin Laden falar dos atentados em Washington e Nova York provocou a ira e o desgosto entre muitos americanos. Embora muitos já estavam certos de que ele era o culpado, ver as imagens na televisão foi um pouco demais.O pai de uma das vítimas da tragédia afirmou que preferiria que as imagens não tivessem sido divulgadas. "Cada vez que via a televisão, mudava de canal", disse Anthony Gambale, cuja filha Giovanna morreu nas torres gêmeas de Nova York.Mark Finelli, um bancário de Tucson, Arizona, encontrava-se no 61º andar de uma das torres em 11 de setembro. Embora não tenha se surpreendido com o vídeo, Finelli, de 25 anos, afirmou que queria destruir o aparelho de televisão. "Apoio a pena de morte, mas neste caso, com alguém que está disposto a morrer, sou a favor de deixá-lo apodrecer em vida", disse.Em San Diego, o sargento dos fuzileiros Tate Parmer, de 30 anos, disse que ele e seus colegas nunca duvidaram que Bin Laden fosse responsável pelos atentados. "É um homem mau, definitivamente deve ser eliminado".Na cidade de Nova York, milhares de pessoas viram a transmissão do videoteipe na tela gigante instalada na Times Square. "Não posso crer que estão agradecendo a Deus por isso" disse David Castellano, de 27 anos, técnico de computadores do Brooklyn.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.