Vídeo de Steve Jobs é exibido em julgamento da Apple

O falecido fundador e executivo-chefe da Apple, Steve Jobs, depôs em um processo esta semana nos EUA, no qual a Justiça avalia se a companhia adotou práticas anticoncorrenciais no mercado de músicas digitais. A participação do visionário tecnológico ocorreu por meio de um vídeo, gravado cerca de seis meses antes de sua morte, em 2011.

AE, Estadão Conteúdo

06 de dezembro de 2014 | 13h25

No depoimento gravado em vídeo e exibido no tribunal nesta sexta-feira, Jobs diz que estava "muito assustado" com a possível atuação de hackers no serviço de venda de músicas da Apple, o iTunes. "Existem muitos hackers tentando invadir esse serviço para poderem fazer coisas que nos colocariam em desconformidade com os contratos que temos com as companhias de música", diz ele, com a cabeça raspada e a voz rouca, usando o tipo de camisa de gola rolê pelo qual ficou conhecido. Questionado, ele afirma não se lembrar de muitos dos eventos que ocorreram em meados dos anos 2000 e que fazem parte do julgamento.

Os adversários da Apple no processo buscam US$ 350 milhões em indenizações, valor que pode ser triplicado sob as atuais leis antitruste. Eles dizem que Jobs atuou agressivamente para tirar concorrentes do mercado e apresentaram um e-mail de janeiro de 2004 no qual ele diz ser "ótimo" que os consumidores não pudessem misturar diferentes tecnologias de música digital. "A tecnologia de ninguém vai funcionar com a tecnologia dos outros. Vamos aumentar essa posição agora", diz o fundador da Apple no e-mail. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAAppleSteve Jobs

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.