Vídeo mostra alemães seqüestrados no Iraque

Os dois engenheiros alemães seqüestrados na terça-feira passada no Iraque apareceram nesta sexta-feira em um vídeo emitido pela rede de televisão Al Jazeera.O vídeo foi gravado pela desconhecida "Brigada dos partidários do Monoteísmo e da Sunna", que, segundo a TV, não expressam condição para colocá-los em liberdade.A fita foi gravada no mesmo dia do seqüestro às 10h08 da manhã - como aparece impresso na imagem -, apenas uma hora e meia após captura.Segundo a Al Jazeera, os alemães, que falam muito baixo na imagem, pedem que o governo "intervenha" para conseguir a libertação, sem que fique claro como tem que ser esta intervenção.Os dois engenheiros, René Braunlich e Thomas Nitzchke, que trabalham em uma refinaria de petróleo de Beiji (180 quilômetros ao norte de Bagdá) foram seqüestrados em um complexo residencial dessa mesma cidade por homens disfarçados de agentes da Guarda Nacional.A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, falou pela primeira vez sobre o caso e pediu que os seqüestradores libertem os engenheiros. O ministro de Exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier, mostrou-se "consternado" pelo vídeo. Ele disse que o governo alemão fará "tudo que está ao seu alcance" para recuperar os dois.Outros sequestrosNão há notícias da jornalista americana Jill Carroll, seqüestrada no começo do ano perto de uma mesquita sunita em Bagdá quando, aparentemente, ia entrevistar um líder dessa comunidade.Os seqüestradores divulgaram na semana passada um vídeo na Al Jazeera na qual ameaçavam matá-la em 72 horas se presas iraquianas não fossem libertadas. Desde que na sexta-feira passada se completou o ultimato, nada se sabe de Carroll.Também não há informações sobre os quatro trabalhadores de uma ONG cristã seqüestrados no princípio de dezembro nos arredores de Bagdá. Nas mesmas datas foram capturados separadamente a arqueóloga alemã Susanne Osthoff e o engenheiro francês Bernard Planche, cujas libertações deixaram muitos pontos obscuros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.