Reprodução
Reprodução

Vídeo mostra mulher sendo executada por membro do Talebã no Afeganistão

Vítima era acusada de adultério; 'Por ordem de Alá ela será morta', diz outro homem nas imagens

estadão.com.br,

08 de julho de 2012 | 16h04

CABUL - Um vídeo obtido pela agência Reuters no Afeganistão traz sinais do austero regime islâmico no país. As imagens mostram um membro do Talebã executando a sua mulher, acusada de adultério, em frente à um grupo de pessoas numa região próxima a Cabul.

Veja também:

link Confrontos deixam ao menos 26 mortos no sul do Afeganistão

link Doadores oferecem US$ 16 bi em ajuda ao Afeganistão

link Explosões matam 14 civis no sul do Afeganistão

Um homem vestido com um turbante se aproxima de uma mulher ajoelhada no chão e atira nela à queima-roupa 5 vezes com uma arma automática. A plateia, de cerca de 150 pessoas, vibra com o ato, numa vila na província de Parwan. "Alá nos recomenda a não cometer adultério, porque é o caminho errado", diz outro homem durante a execução. "É por ordem de Alá que ela será executada", justifica.

O governador da província, Basir Salangi, disse que o vídeo obtido neste sábado, 7, foi feito há uma semana na vila de Qimchok, no distrito de Shinwari - a uma hora de Cabul. "Quando eu vi este vídeo, eu fechei meus olhos... A mulher não era culpada, o Talebã é o culpado", disse Salangi.

Apesar da presença de 130.000 soldados de tropas estrangeiras e de 300.000 afegãos, o Talebã conseguiu ressurgir sobretudo no sul e no leste do país, estendendo esta influência até áreas pacíficas como de Parwan.

Com informações da Reuters

 
Mais conteúdo sobre:
TalebãAfeganistãoCabul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.