Vídeo mostra policiais atirando em mineradores na África

Um vídeo gravado em um celular do massacre ocorrido no ano passado pela polícia durante uma greve na mina de platina da Lonmin em Marikana, na África do Sul, mostra um policial alertando seus colegas a não atirarem logo antes de abrirem fogo contra os trabalhadores, matando 34 deles.

AE, Agência Estado

29 de janeiro de 2013 | 17h05

O vídeo levantou a questão de o tiroteio não ter ocorrido em legítima defesa, como a polícia havia afirmado. Ian Farlam, presidente da comissão que investiga as mortes dos mineradores em 16 de agosto, disse nesta terça-feira que ainda é cedo para tirar conclusões do vídeo, mas confirmou que ele é de autoria de dois policiais.

Uma parte do vídeo mostra um minerador fugindo e um dos policiais gritando: "O cara está correndo. Espere. Não atire, não atire", mas em seguida é possível ouvir tiros e então a câmera mostra o corpo de um homem no chão. Outra parte mostra um policial xingando um dos mineradores e dizendo, em seguida: "Atirei nele pelo menos umas 10 vezes".

A gravação foi feita em 16 de agosto, mesmo dia em que a polícia matou os 34 mineradores, e foi submetida à comissão que investiga a violência durante as quase seis semanas de protestos nas minas de Marikana, que deixaram 46 mortos no total. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
África do Sulvídeomortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.