Vídeo racista causa indignação em universidade da África do Sul

Filmagem mostra estudantes dando uma sopa com urina para funcionários negros da instituição

Reuters,

27 de fevereiro de 2008 | 18h46

Um vídeo que mostra estudantes universitários brancos da África do Sul dando uma sopa que havia sido urinada à funcionários de idade, que trabalham na limpeza da University of the Free State, tem causado indignação no país. As aulas da universidade foram suspensas e os alunos e funcionários protestaram nesta quarta-feira, 27, exigindo uma ação contra os alunos que participam do vídeo.   O vídeo mostra um estudante urinando em um recipiente com sopa colocado sobre um assento do banheiro da universidade, localizada numa região agrícola conservadora de "afrikaners" - grupo sul-africano com descendência holandesa.   "Este é o ingrediente final", disse ele antes de aquecer a sopa em um forno microondas e depois dar aos funcionário da limpeza - quatro mulheres e um homem. Eles também foram levados a um bar onde tomaram bebidas alcoólicas e dançaram uma música africana, que foi retratada como uma iniciação da cerimônia.   O vídeo, filmado no ano passado, levou à estudantes negros e brancos a protestarem no campus, marchando em direção ao dormitório masculino Reitz, onde a gravação foi feita. Em uma das placas do protesto estava escrito "Pare esta arrogância branca".   A polícia utilizou granadas de efeito moral para dispersar a multidão. Cinco estudantes foram presos e houve incidentes esporádicos de intimidação e danos à propriedade, informou a universidade."O Reitz, em seguida, foi forçado a integrar e nós começamos nosso próprio processo de seleção".   O Jovem Liga Comunista da África do Sul disse que o vídeo reflete que alguns estudantes afrikaners na universidade ainda "consideram nosso povo como seres humanos inferiores, equivalente a porcos".   O vídeo, liberado pela South Africa's eTV, gerou grandes notícias no país. Na primeira página do jornal The Star, a machete "O vídeo do Apartheid", mostrou uma seqüência de fotos da filmagem, onde um dos funcionários aparece de joelhos, vomitando em um balde, após beber a sopa contaminada.   A universidade informou que instruiu seus advogados a abrirem um processo penal contra os estudantes. "Isso resulta outras medidas tomadas ontem à tarde para proibir dois dos quatro estudantes do dormitório masculino Reitz, a comparecerem ao campus", afirmou o porta-voz da universidade Anton Fisher, em uma declaração. "A administração também suspendeu as aulas hoje para permitir que as emoções dos funcionários e estudantes fossem tranqüilizadas. As aulas serão retomadas amanhã", acrescentou.   Dois dos estudantes do vídeo tinham concluído os estudos e não estavam mais no campus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.