Vídeos ajudam refugiados da guerra síria

ONGs intensificam campanhas por mais apoio aos fugitivos, principalmente às crianças

FERNANDA SIMAS, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2014 | 02h03

Ao completar três anos, a guerra civil síria parece longe de acabar. Por isso, o conflito continua sendo o alvo preferencial de diversas ONGs que buscam fundos para ajudar os atingidos, principalmente as crianças. E elas conseguem ajuda, principalmente utilizando vídeos postados na internet, alguns dos quais se tornaram virais.

Mais de 140 mil pessoas morreram durante a guerra de rebeldes sírios contra o regime do presidente Bashar Assad e um terço da população precisou deixar suas casas: 2,5 milhões fugiram para países vizinhos e 4,2 milhões ficaram na Síria. Quase metade dos desabrigados são crianças.

A penúltima campanha feita pela Save the Children mostra um dia na vida de uma menina britânica, que, de repente, se vê no meio de uma guerra, com as mesmas características do conflito sírio. O vídeo teve mais de 25 milhões de acessos e foi compartilhado por milhares de pessoas nas redes sociais.

"Muitas pessoas veem o vídeo, entram no site da organização, aprendem mais sobre a gente e se envolvem nos projetos. Os vídeos ajudaram a criar uma nova empatia e um novo tipo de comunicação. As pessoas entendem melhor o que acontece na Síria e ajudam", explica a conselheira sênior das campanhas da organização britânica Save the Children, Andrea Vukovic.

"Esse vídeo foi feito a partir de cenas reais da Síria e do sofrimento das crianças. A cena que mostra os pais da menina discutindo se eles devem ir ou não até o porão, onde há suprimento de água, foi feita a partir de uma conversa entre um membro de nossa equipe e uma criança síria", conta Andrea.

Outro vídeo da Save the Children, divulgado na quinta-feira, tem o professor Stephen Hawking narrando frases ditas por crianças sírias. Segundo Andrea, a campanha foi feita para marcar os três anos da guerra civil no país.

Outras campanhas. Andrea afirma que o principal objetivo das campanhas da organização britânica é conseguir acesso humanitário ao país. "Durante a conferência de paz de Genebra, participantes de todo o mundo se juntaram para exigir isso de Lakhdar Brahimi (enviado da ONU à região). E, na quinta-feira, finalmente conseguimos uma resolução do Conselho de Segurança sobre isso."

O principal órgão decisório da ONU pediu também um maior volume de socorro humanitário à Síria e, no dia seguinte, a Unicef informou que o regime de Assad garantiu dar maior acesso para os grupos de ajuda que prestam assistência aos sírios.

Outras organizações também realizam campanhas em defesa das crianças sírias. O vídeo da SOS Barnebyer, feito na Noruega, também se tornou viral na internet. Nele, um menino senta em um ponto de ônibus em um dia frio, sem estar vestindo um casaco.

A campanha mostra quantas pessoas que param ali decidem ajudá-lo, entregando algo que está vestindo, e termina com a frase: "Você é uma pessoa que agiria quando visse alguém que precisa de ajuda?"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.