Vieira de Mello assume representação da ONU no Iraque

O novo representante especial da ONU no Iraque, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, assumiu hoje o posto, dizendo que sua prioridade central é garantir o rápido estabelecimento de uma autoridade interina e abrir caminho para um governo democrático. "O Iraque sofreu demais por tempo demais", afirmou Vieira de Mello, o comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, num comunicado logo após sua chegada. "O Iraque merece coisa melhor - infinitamente melhor".Uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, aprovada no mês passado, deu a Vieira de Mello um mandato para trabalhar "intensamente" tanto com o povo iraquiano como com as potências ocupantes - Estados Unidos e Grã-Bretanha - para a formação de um governo independente iraquiano. Mas, devido à pressão da França, Rússia e Alemanha - que se opuseram à guerra - o representante também recebeu "responsabilidades independentes" na reconstrução e no estabelecimento de uma nova administração.Vieira de Mello, numa licença de quatro meses de seu posto de comissário de direitos humanos, também trabalhará para providenciar ajuda humanitária, promover reformas no judiciário e colaborar na formação de uma polícia civil. Paul Bremer, o administrador civil americano do Iraque, tem dito que espera reunir uma assembléia de 300 representantes dos diversos grupos étnicos, políticos e religiosos do Iraque, em meados de julho, para elaborar uma nova Constituição e eleger um governo interino.Mas um funcionário da Autoridade Provisória da Coalizão disse no domingo que um conselho de 25 a 30 proeminentes iraquianos irá constituir, por enquanto, uma autoridade interina. Não ficou claro se isso significaria que a assembléia constituinte não será reunida como originalmente planejado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.