Vieira de Mello não quis impor segurança máxima no prédio

Por ordem do brasileiro Sérgio Vieira de Mello, o prédio da Organização das Nações Unidas (ONU) em Bagdá era um dos que contava com o menor número de seguranças entre as entidades internacionais presentes no Iraque. Segundo a assessoria da entidade em Genebra, a idéia do brasileiro era a de mostrar que a ONU não fazia parte da potência que estava ocupando o país e, portanto, não poderia aparentar como um forte. "A idéia era mostrar que a ONU está lá para ajudar a população", afirmou um assessor, que reconhece que a segurança de todos os funcionários internacionais será revista a partir de agora no Iraque.No Afeganistão, os escritórios da ONU também receberam a informação com preocupação. Muitos acreditam que o próximo alvo poderiam ser os edifícios das Nações Unidas em Cabul. Segundo assessores da entidade, a segurança está sendo reforçada no Afeganistão e nos demais países da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.