Vilarejo é palco de disputa entre Damasco e Beirute

A vila de Ghajar poderia simbolizar facilmente os conflitos entre árabes e israelenses. Nos anos 1940, a França, que tinha o mandato sobre o que hoje é a Síria e o Líbano, traçou uma linha fronteiriça imperfeita, com algumas regiões sendo reivindicadas entre os dois países árabes.

Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2010 | 00h00

As Fazendas de Shebaa e Ghajar são um desses casos. Os habitantes circulavam pela fronteira como se não estivessem cruzando países, mas apenas indo para a vila vizinha. Não havia, na região, a noção de identidade síria ou libanesa no início.

Na Guerra dos Seis Dias, em 1967, Israel ocupou as Colinas do Golan, da Síria. Tanto Ghajar quanto Sheba, apesar de não estarem exatamente nas colinas, são geograficamente consideradas parte do Golã. Mas nos dois casos, o Líbano reivindicava - e reivindica - os territórios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.