Vinte pessoas morrem em ataque em região turbulenta na China

Manifestantes empunhando facas mataram 13 pessoas na região de Xinjiang, na China, na noite de terça-feira, segundo a agência oficial de notícias Xinhua e autoridades do governo, no mais recente espasmo de violência que atinge a região etnicamente dividida, no noroeste do país. A polícia matou sete manifestantes em resposta, informou o governo.

BEN BLANCHARD E CHRIS BUCKLEY, REUTERS

29 de fevereiro de 2012 | 12h01

O governo de Xinjiang disse que as mortes aconteceram em uma movimentada rua de pedestres no condado de Yecheng, perto de Kashgar, uma cidade no sul da província que tem sido assolada por tensões entre o povo Uigur, de maioria muçulmana, e os chineses da etnia Han.

"Nove violentos terroristas se lançaram de repente contra a multidão e esfaquearam pessoas inocentes até a morte com suas facas, causando a morte de 13 inocentes e ferindo muitos outros", de acordo com comunicado oficial no portal de notícias www.tianshannet.com.

"A polícia chegou rápido no local, enfrentou a situação com determinação e matou sete violentos terroristas e capturou dois", completou.

O governo local não identificou nenhum dos atacantes ou informou a sua etnia, nem identificou a etnia das vítimas.

Yecheng, também conhecida pelo nome Uigur de Kargilik, fica perto da região contestada da Caxemira, que é parcialmente controlada pela Índia e pelo Paquistão.

A China atribuiu os incidentes anteriores de violência a partidários religiosos que querem estabelecer um Estado independente chamado Turquestão do Leste.

Grupos exilados de uigures e ativistas de direitos humanos, porém, dizem que a China exagera sobre a ameaça imposta por militantes em Xinjiang.

"Na ausência de evidências convincentes, observadores internacionais devem ser extremamente cuidadosos ao ouvir as afirmações chinesas sobre 'agitadores' e 'terroristas'", disse o presidente da Associação Norte-Americana Uigur, Alim Seytoff, em um comunicado por e-mail.

(Reportagem adicional de Sally Huang e Michael Martina)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAATAQUEMORTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.