Vinte soldados do Sudão morrem em emboscada, diz Exército

Forças leais a um general renegado do sul do Sudão emboscaram tropas do governo, matando 20 soldados e ferindo 50, disse o Exército do sul na terça-feira.

REUTERS

21 de dezembro de 2010 | 15h36

O general George Athor se rebelou depois de perder as eleições de abril para o governo do Estado petrolífero de Jonglei, no sul do país, aumentando as tensões antes de um referendo marcado para janeiro sobre a independência do sul do Sudão.

Em outubro o líder do sul do Sudão, Salva Kiir, ofereceu perdoar Athor, e as duas partes concordaram em manter distância uma da outra até que as negociações fossem concluídas.

"As forças de George Athor emboscaram uma companhia do SPLA (o Exército do sul) no condado de Pigi, no Estado de Jonglei", disse um porta-voz do Exército do sul.

"Isso aconteceu no meio de negociações com George Athor. Mas este incidente será tratado separadamente, e as negociações de anistia vão continuar."

Athor não atendeu a ligações feitas a seu telefone via satélite. O site do jornal Sudan Tribune citou Athor como tendo dito que o Exército atacou suas posições duas vezes no fim de semana.

O porta-voz disse que não sabia se homens de Athor morreram, e que as informações sobre o confronto ainda estão chegando. Ele disse que pelo menos 14 pessoas morreram.

"As forças deles se espalharam pela vegetação alta, e é impossível saber quantos podem ter sido mortos ou feridos."

O grupo petrolífero francês Total possui uma concessão quase inexplorada em Jonglei.

Tudo o que sabemos sobre:
SUDAOEMBOSCADASOLDADOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.