Violência adia posse do novo governo de Bangladesh

As autoridades de Bangladesh adiaram a transferência de poder a um Governo provisório, prevista para este sábado, devido a uma onda de violência política que causou a morte de três pessoas nas últimas horas, informou a rede de televisão indiana "NDTV".A primeira-ministra, Jaleda Zia, cujo mandato de cinco anos terminou à meia-noite, deveria passar o poder a uma administração neutra, encarregada de convocar eleições dentro de 90 dias. No entanto, a cerimônia foi adiada indefinidamente. O designado para liderar o novo Governo, o ex-juiz do Tribunal Supremo K.M.Hassan, ficou doente, segundo a "NDTV".A escolha de Hassan foi duramente criticada pela Liga Awami, de oposição. O grupo acusa o juiz de ser ligado ao partido de Zia, e incapaz de promover eleições neutras.Manifestantes a favor e contra o governo saíram nas últimas horas às ruas de Daca, a capital do país, e outras cidades. Houve diversos confrontos e morreram três pessoas, segundo a emissora indiana.O complexo cenário político de Bangladesh se complicou ainda mais na quinta-feira, quando 10 ministros e quase 100 líderes regionais decidiram abandonar o governante Partido Nacionalista de Bangladesh(BNP) e criar um novo partido. Os dissidentes acusaram a primeira-ministra de corrupção e pediram sua renúncia.Jaleda Zia (viúva do pai da pátria, Mujibur Rahman, assassinado em 1975) venceu as eleições de 2001 com uma arrasadora maioria. Mas seu mandato tem sido marcado por acusações de corrupção, nepotismo eincompetência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.