Violência deixa 21 mortos antes de eleição no Paquistão

Pelo menos 21 pessoas morreram desde sábado em Karachi, no sul do Paquistão. Os episódios ocorrerem antes de uma importante eleição na cidade e fazem parte de uma onda de violência que já deixou 85 mortos e foi iniciada após a morte do legislador Raza Haider, assassinado a tiros em agosto.

AE-DJ, Agência Estado

17 de outubro de 2010 | 11h15

Neste domingo, os eleitores de Karachi elegem o substituto de Haider, integrante do Movimento Muttahida Qaumi, para a Assembleia provincial da cidade de 16 milhões de habitantes.

"Vinte e uma pessoas foram mortas em bairros no Oeste e Sul de Karachi desde sábado", disse o chefe de polícia da cidade, Fayyaz Leghari, à agência France Presse. "Pelo menos 17 foram assassinadas no sábado e quatro pessoas morreram no domingo depois que homens armados abriram fogo contra um ônibus na municipalidade de Banaras." Segundo ele, a polícia deteve 20 suspeitos e continua a investigar os episódios.

A rivalidade é alta entre o Movimento Muttahida Qaumi e o Partido Nacional Awami, que representam diferentes comunidades em Karachi, destacando a rivalidade política na cidade. Imran Farooq, outro integrante do Movimento Muttahida Qaumi foi assassinado em setembro, do lado de fora de sua casa em Londres.

O Movimento Muttahida Qaumi é integrante da coalizão de governo liderada pelo Partido do Povo Paquistanês na província de Sindh, da qual Karachi é a capital.

O governo não divulgou números exatos, mas grupos de direitos humanos afirmam que mais de 260 assassinatos ocorreram durante os primeiros seis meses deste ano. No mesmo período de 2009, ocorreram 156 mortes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoviolênciapolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.