Violência deixa 5 israelenses e 2 palestinos mortos

Novos atentados terroristas cometidos por palestinos e ações militares de Israel deixaram cinco israelenses e dois palestinos mortos. Com isso, o saldo da escalada de violência na última semana já se elevou a 31 israelenses e 58 palestinos mortos. Durante a noite e na manhã de hoje, aviões e helicópteros de Israel bombardearam seis prédios da Autoridade Nacional Palestina em três cidades diferentes da Cisjordânia e em uma cidade da Faixa de Gaza. Um dos prédios atingidos, em Ramallah, faz parte do complexo onde vive e trabalha o presidente da ANP, Yasser Arafat. Ele estava a 50 metros do local atingido, mas saiu ileso. Durante a madrugada, um militante palestino abriu fogo com um fuzil M-16 no restaurante Seafood Market, deixando três israelenses mortos e 31 feridos. O terrorista foi morto por um policial. O grupo palestino AlAqsa assumiu a autoria desse atentado. Pela manhã, um terrorista suicida explodiu uma bomba dentro de um ônibus no terminal rodoviário de Afula, matando a si mesmo e a um passageiro israelense; outras 11 pessoas ficaram feridas. O ataque foi assumido pelo grupo Jihad Islâmica. Na principal rodovia da Cisjordânia, atiradores palestinos dispararam contra um carro e mataram uma mulher israelense, deixando seu marido levemente ferido. No bairro árabe de Sur Baher, em Jerusalém, uma bomba explodiu em uma escola, deixando feridos sete estudantes e um professor. Em mensagens em hebraico transmitida a emissoras de rádio, um grupo chamado "Vingadores das Crianças" assumiu a autoria desse ataque; de acordo com a polícia, aparentemente trata-se de uma organização extremista israelense. As informações são da Associated Press, citada pela Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.