Violência deixa 70 mortos no Iraque

Atentados a bombas e tiroteios mataram mais de 70 pessoas no Iraque nesta terça-feira em uma onda de ataques, enquanto o exército dos Estados Unidos se prepara para devolver a segurança às ruas de Bagdá. As mortes incluem 20 soldados iraquianos, um americano e um britânico.O soldado americano morreu "devido à ação inimiga" na província de Anbar, a oeste de Bagdá, segundo o comando americano. Em uma declaração separada, o exército divulgou que um soldado americano morreu um dia antes em um bombardeio no sul da capital. Autoridades confirmaram que cerca de 45 xiitas foram seqüestrados ao longo das duas últimas semanas na principal estrada para a Síria e a Jordânia. A estrada passa através de territórios tomados por guerrilheiros sunitas, a oeste de Bagdá.O pior ataque desta terça ocorreu quando um bombardeio devastou um ônibus cheio de soldados iraquianos perto de Beiji, 250 quilômetros ao norte de Bagdá. Todas as 24 pessoas a bordo do veículo morreram, de acordo com o porta-voz do Ministério da Defesa, Mohammed al-Askari. Destes, apenas quatro pessoas não eram soldados iraquianos, disse a polícia.Em Bagdá, 14 pessoas morreram e 37 ficaram feridas quando um carro-bomba explodiu em um banco onde policiais e soldados estavam recebendo seus pagamentos mensais, segundo o Coronel Abbas Mohammed Salman.Foi o terceiro grande ataque em menos de uma semana em Karradah, bairro majoritariamente xiita no centro de Bagdá que é residência para uma série de políticos proeminentes. Na última quinta-feira, 31 pessoas morreram em um ataque que incluiu foguetes, morteiros e um carro-bomba.Um soldado britânico foi fatalmente ferido em uma barragem de morteiros antes do amanhecer desta terça em uma base britânica na cidade de Basra, divulgou o Ministério da Defesa britânico. Desde o começo da invasão, em 2003, 115 soldados britânicos já morreram.Violência sectáriaAs autoridades americanas estão alarmadas com o aumento da violência entre xiitas e sunitas e a função das milícias sectárias. Essas tensões são agora consideradas uma ameaça maior que a insurgência sunita ao governo do primeiro ministro Nouri al-Maliki.O exército americano está movendo pelo menos 3.700 soldados de Mosul para Bagdá e está juntando esforços para uma nova operação de segurança para tomar o controle da capital de milícias xiitas, insurgentes sunitas, gangues de seqüestro, policias desertores e pistoleiros. Enquanto isso, pistoleiros fizeram uma emboscada para um miniônibus levando funcionários de uma estação de energia para suas casas no distrito xiita de Sadr City, matando cinco passageiros e ferindo seis, segundo a polícia. Um carro-bomba matou sete pessoas, seis delas civis, em Muqdadiyah, a nordeste de Bagdá. Três soldados iraquianos foram mortos na noite desta terça quando um homem-bomba atacou um ponto de inspeção na cidade de Tal Afar, no norte do Iraque, segundo o exército iraquiano.As outras vítimas registradas pela polícia morreram em uma série de tiroteios e bombardeios, a maioria em Bagdá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.