Violência deixa pelo menos 58 mortos no Afeganistão

Quinze pessoas, entre elas seis crianças, morreram na explosão de uma bomba dentro de um microônibus em Helmand, no sul do Afeganistão, informaram autoridades locais. No leste, sangrentos combates nas proximidades da fronteira com o Paquistão deixaram 21 mortos, inclusive cinco soldados afegãos, revelaram fontes militares. Choques entre soldados leais a dois senhores da guerra rivais deixaram 20 pessoas mortas. Apesar dos incidentes, os grupos rivais juraram lealdade ao governo do presidente do Afeganistão, Hamid Karzai. Em Cabul, dois estudantes universitários morreram na explosão prematura de uma bomba que fabricavam. No total, os incidentes ocorridos desde o fim da noite de ontem causaram pelo menos 58 mortes, em um dos dias mais sangrentos desde a derrubada do regime fundamentalista do Taleban, no fim de 2001. As mortes parecem apontar para uma tendência de aumento nos ataques rebeldes e nas disputas entre facções rivais, aumentando a pressão sobre o frágil governo de Karzai e criando uma atmosfera de medo constante entre a população.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.