Violência é reflexo da crise econômica, acreditam políticos

Luigi Preiti foi descrito por autoridades como um pedreiro desempregado, com problemas no casamento e gigantescas dívidas de jogo. Morador da Calábria, uma das regiões mais pobres da Itália, ele disse para os investigadores que queria acertar os políticos, mas que, ao não encontrar ninguém na praça, diante do Palácio Chigi, resolveu atirar nos policiais.

O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2013 | 02h06

A violência, no entanto, foi encarada por muitos políticos como um alerta para a necessidade urgente de resolver os graves problemas econômicos do país, que vive em meio a escândalos de corrupção e alta taxa de desemprego. "O simbolismo está aí", afirmou Guglielmo Epifani, um dos principais assessores do primeiro-ministro Enrico Letta. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.