Violência e saques instauram caos em várias áreas de Londres

Prédios foram incendiados e lojas foram saqueadas; mais de 200 foram presos

estadão.com.br

08 de agosto de 2011 | 19h33

Manifestantes tomaram conta de rua em Hackney, no leste da cidade

 

LONDRES - O violentos distúrbios que tomaram conta do norte de Londres se espalharam e chegaram a outras regiões da capital britânica nesta segunda-feira, 8, provocando a pior situação vivida pela cidade em termos de segurança pública. A polícia está em confronto com manifestantes desde a noite do sábado e tenta evitar mais saques, incêndios e destruição.

 

Veja também:

linkCameron cancela férias e convoca reunião

blog RADAR GLOBAL: Conte-os sua história

som ÁUDIO: Brasileiro relata tensão em Londres

video Acompanhe os enfrentamentos ao vivo (imagens da BBC)

mais imagens GALERIA: Veja imagens da violência em Londres 

 

Os distúrbios começaram devido à morte de um vigia em Tottenham, bairro pobre do norte da cidade, cujas circunstâncias ainda não foram definidas. Desde então, centenas de jovens tomaram as ruas em violentas manifestações que amedrontaram a população londrina e forçaram as autoridades a fechar ruas e linhas de trem e ônibus. O governo afirma que trata-se de uma "onda de criminalidade" sem qualquer motivação política e os que se unem aos tumultos o fazem apenas pela oportunidade de saquear.

 

Nesta segunda, os distúrbios chegaram às regiões leste, central e sul de Londres. Foram identificados confrontos, incêndios e saques nos bairros de Enfield, Brixton, Walthamstow, Dalston, Walworth, Catford, Hackney, Croydon, Peckham, Clapham e Lewisham. Um vídeo no Youtube mostrada saqueadores em Birmingham, no que seria o primeiro caso de violência fora da capital.

 

Os manifestantes, em sua maioria jovens, atiraram pedras, paus e bombas incendiárias contra a polícia. Eles estavam encapuzados e colocaram fogo em latas de lixo e formaram barricadas. Segundo as autoridades, a revolta foi organizada por mensagens de celular e pelas redes sociais.

 

Autoridades

 

A secretária do Interior, Theresa May, que interrompeu suas férias por causa dos distúrbios, disse que o número de detidos subiu para 225, e que 27 pessoas foram indiciadas. "A violência que vimos, os saques que vimos, a delinquência que vimos: isso é pura criminalidade. Essas pessoas serão levadas à Justiça. Terão de enfrentar as consequências das suas ações", disse ela.

 

O primeiro-ministro, David Cameron, e o prefeito de Londres, Boris Johnson, também encurtaram as férias devido à violência na capital. O premiê até convocou uma reunião de emergência com o Comitê de Crises do governo para discutir a situação. As autoridades locais informaram que reforçariam o policiamento durante a madrugada.

 

O bairro de Tottenham, onde ocorreu o episódio da morte do vigia que estourou os protestos, é uma área empobrecida, etnicamente diversificada e com histórico de revoltas. O local foi palco das rebeliões de 1985, que levaram à morte de um policial e deixaram quase 60 feridos.

 

Saqueadores atacam joalheria em Birmingham, no centro do país

 

Com informações das agências BBC, AP e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.