Violência em província chinesa de Xinjiang deixa 12 mortos

A polícia chinesa matou seis pessoas durante um ataque "terrorista" ocorrido na província de Xinjiang, no oeste do país. Seis outras pessoas morreram quando explosivos que carregavam foram detonados, afirmou a agência oficial de notícias do país, Xinhua.

Reuters

25 de janeiro de 2014 | 09h37

A polícia foi atacada na sexta-feira por um grupo que arremessou artefatos explosivos na localidade de Xinhe, afirmou a agência, citando autoridades locais, em mais um episódio de violência a afetar a região que possui grande população muçulmana.

"Durante o processo de conter um caso terrorista em Xinhe, em 24 de janeiro, eles foram atacados por bandidos que arremessaram artefatos explosivos", disse a Xinhua. Cinco suspeitos foram detidos e um policial ficou ferido sem gravidade.

Xinjiang tem sido um centro de numerosos incidentes violentos no país nos últimos anos. O governo afirma que os conflitos devem-se ao Movimento Islâmico do Turquestão do Leste, mas especialistas lançam dúvidas sobre a existência do movimento como um grupo coeso.

Pelo menos 91 pessoas, incluindo vários policiais, foram mortos em atos de violência em Xinjiang desde abril, segundo relatos da imprensa estatal.

Muitos grupos defensores de direitos humanos afirmam que a China tem exagerado a ameaça representada pelos ativistas da minoria Uighur, muçulmanos que falam o idioma Turkic, para justificar duros controles sobre o território rico em recursos energéticos. A região faz fronteira com ex-Estados soviéticos da Ásia Central e com a Índia e Paquistão.

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAMORTOSPROVINCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.