Violência fará Londres rever segurança para Jogos de 2012

Para ministra do Interior, organizadores 'levam muito a sério' segurança bilionária de evento em 2012

BBC Brasil, BBC

09 de agosto de 2011 | 08h24

Partida entre Inglaterra e Holanda, que aconteceria nesta quarta em Wembley, foi cancelada

 

 

A ministra britânica do Interior, Theresa May, disse nesta terça-feira que reverá os planos relativos à segurança para os Jogos Olímpicos de 2012, em meio à onda de violência na capital britânica.

 

Veja também:

Cameron: 'Vocês sentirão a força da lei'

blog RADAR GLOBAL: Conte-os sua história

som ÁUDIO: Não existe registro de brasileiros feridos

som ÁUDIO: Brasileiro relata tensão em Londres

video VÍDEO: Revoltas se espalham por Londres

mais imagens GALERIA: Veja imagens da violência em Londres 

 

Em entrevista à BBC, a ministra disse que as autoridades "levam a questão da segurança nas Olimpíadas muito a sério".

"Muito trabalho já foi feito para elaborar os planos para a segurança e a ordem pública nas Olimpíadas, e continuaremos a monitorar e avaliar o que for necessário", afirmou.

Desde o atentado no sistema de transporte londrino, que matou 52 pessoas no dia 7 de julho de 2005 - poucos dias após Londres vencer a disputa para sediar os Jogos -, a segurança foi uma das questões centrais dos organizadores londrinos.

A autoridade olímpica londrina destina em seu orçamento 757 milhões de libras esterlinas (cerca de R$ 2 bilhões) à segurança do evento, dos quais um terço é destinado aos locais de competição em si e o restante, à a região do Parque Olímpico e os leste de Londres.

Até o momento, a grande preocupação das autoridades é a possibilidade de ataques terroristas.

Ainda na sexta-feira passada, a ministra Theresa May garantia à imprensa que Londres contará com cerca de 12 mil policiais por dia na época dos Jogos Olímpicos, o que garantirá a segurança contra possíveis atentados.

Entretanto, desde o sábado passado, é a possibilidade de quebra-quebras organizados que mais tem preocupado os organizadores de eventos esportivos na Grã-Bretanha.

Mais policiamento

Nesta terça-feira, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse que o número de policiais trabalhando em Londres passará de 6 mil para 16 mil.

O direcionamento de policiais para outras partes da cidade levou a federação inglesa de futebol, a Football Association (FA), a cancelar um amistoso entre a Inglaterra e a Holanda, que seria realizado no estádio de Wembley, no noroeste de Londres, na quarta-feira.

O evento tinha a expectativa de atrair 70 mil pessoas, e a avaliação foi de que a polícia não teria condições de garantir a segurança dos torcedores.

Outras partidas válidas por campeonatos locais foram canceladas por causa da onda de violência.

Questionado sobre a segurança dos Jogos de 2012, o comitê organizador tem direcionado às perguntas da imprensa para o Ministério do Interior.

Evitando se estender no assunto, um porta-voz do Comitê Olímpico Internacional (COI) disse que a entidade está confiante nas medidas das autoridades locais.

"A segurança dos Jogos Olímpicos é uma prioridade para nós, mas é diretamente feita pelas autoridades locais. Eles conhecem melhor (a situação) e sabem o que é apropriado e dentro das proporções", disse o porta-voz do COI, Mark Adams.

"Estamos confiantes em que eles farão um bom trabalho nessa área."

Os Jogos terão início em 27 de maio de 2012 e só terminarão no dia 9 de setembro. A expectativa das autoridades londrinas é vender 8 milhões de ingressos para as Olimpíadas em si e outros 2 milhões para as Paraolimpíadas.

Além disso, são esperados 14,7 mil atletas de mais de 200 países, e 20 mil jornalistas cobrindo o evento.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.