Violência marca protesto contra extremismo islâmico

Um protesto contra o extremismo islâmico na etnicamente diversa cidade inglesa de Birmingham tornou-se violento neste sábado quando seus participantes cruzaram com um grupo antifascismo. A polícia informou ter detido mais de 30 pessoas. Os problemas começaram quando os manifestantes da Liga Inglesa de Defesa, grupo que se opõe ao Islã militante na Grã-Bretanha, encontraram-se no centro de Birmingham com ativistas antifascismo.

AE-AP, Agencia Estado

05 de setembro de 2009 | 20h21

Imagens mostradas pela emissora Sky News mostraram a polícia confinando integrantes da Liga Inglesa de Defesa dentro de bares enquanto os outros manifestantes seguravam placas e gritavam slogans nas proximidades. Segundo a emissora, muitos manifestantes foram colocados em ônibus e depois detidos.

As imagens também mostram militantes contra o fascismo arremessando objetos, correndo pelas ruas e entrando em confronto com a polícia. Segundo a porta-voz da polícia, inspetora Sue Southern, cerca de 200 pessoas participaram dos confrontos.

Birmingham, uma cidade de cerca de 1 milhão de habitantes, dos quais um terço não é branca, registrou cenas semelhantes no último mês. A Liga Inglesa de Defesa acusa o grupo opositor de incitar a violência durante seus protestos.

Tudo o que sabemos sobre:
protestobirmingham

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.