Violência marca véspera da eleição na Caxemira

Supostos militantes islâmicos atacaram seções eleitorais, lançaram granadas e atiraram contra forças de segurança nesta segunda-feira, véspera das eleições estaduais na Caxemira, deixando pelo menos 10 mortos e 29 feridos. A violência começou quando milhares de soldados indianos empilhavam sacos de areia em torno de seções eleitorais para o segundo turno, que será realizado amanhã, no lado indiano da província himalaia, que é reclamado também pelo Paquistão.O ataque, no qual pelo menos um policial morreu e outros dois ficaram feridos, ocorreu na universidade Politécnica, no elegante bairro de Gogjibagh, na região central de Srinagar, no norte da Índia. O local está sendo usado como centro de distribuição de material e administração de pessoal para as eleições.Em um outro conflito, um soldado indiano e quatro rebeldes morreram a tiros em um bosque próximo à estrada que liga Jammu a Srinagar - respectivamente, as capitais de inverno e de verão do Estado de Jammu-Caxemira. Um oficial do Exército indiano ficou ferido no tiroteio.Os eleitores de ambas as cidades votarão amanhã. Pelo menos 27.000 soldados foram destacados para proteger a população apenas em Srinagar. Mais de 100 ativistas e candidatos - incluindo um ministro de Estado - morreram desde o início da campanha eleitoral deste ano. Apesar da violência, o comparecimento às urnas foi considerado alto no primeiro turno, realizado na última segunda-feira. De acordo com a comissão federal eleitoral, 47,2% dos eleitores registrados votaram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.