Violência mata 19 no nordeste da Índia e milhares fogem

Milhares de pessoas fugiram de suas casas no Estado de Assam, no nordeste da Índia, após a morte de pelo menos 19 pessoas em confrontos entre tribos autóctones e colonos muçulmanos, disse a polícia nesta segunda-feira.

BISWAJYOTI DAS, Reuters

23 de julho de 2012 | 17h41

Aldeias inteiras foram queimadas e dezenas de pessoas ficaram feridas nos incidentes.

Nesta segunda-feira, a polícia fez disparos de advertência contra grupos armados que se deslocavam entre os vilarejos no meio da selva e ateavam fogo a casas de bambu, segundo relato de policiais e agentes humanitários na região à Reuters. Soldados e forças paramilitares federais estão patrulhando distritos remotos.

"Vimos patifes queimando aldeia após aldeia nesta segunda-feira", disse um policial de alta patente, pedindo anonimato. "Está uma loucura completa por lá. As pessoas perderam a razão."

O inspetor-geral de polícia em Assam, S.N. Singh, disse à Reuters que deu ordens aos seus homens para que alvejem gangues que sejam vistas nas ruas depois da imposição de um toque de recolher durante o período diurno.

O nordeste da Índia abriga mais de 200 grupos étnicos e tribais e enfrenta revoltas separatistas desde o fim do colonialismo britânico, em 1947.

Nos últimos anos, tribos hindus e cristãs começaram a destilar um forte sentimento xenófobo e islamofóbico contra colonos oriundos de Bangladesh.

Mais conteúdo sobre:
INDIAASSAMVIOLENCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.