Violência na Síria deixa 22 mortos nesta 2ª feira

O grupo ativista Observatório Sírio pelos Direitos Humanos informou que 22 pessoas foram mortas no país nesta segunda-feira. Tropas do regime sírio atacaram a província de Homs, região central do país, na tentativa de retomar o controle da região

AE, Agência Estado

11 de junho de 2012 | 09h05

Soldados do governo usaram helicópteros para atacar posições rebeldes na cidade de Rastan, que há meses está sob intermitente bombardeio, informou o grupo.

Os militares tentam retomar Rastan desde meados de maio, depois que combatentes rebeldes de Homs se reagruparam na cidade, que fica na principal via que liga Damasco ao norte do país.

Forças do regime também bombardearam Jourat al-Shiah, na cidade de Homs city, assim como outros distritos "onde o regime perdeu o controle meses atrás", afirmou o grupo, sediado em Londres.

Na cidade de Qusayr, também na província de Homs, rebeldes armados atacaram um posto de verificação do Exército na manhã desta segunda-feira, num ataque que "matou e feriu vários soldados", revelou o Observatório. Pelo menos quatro pessoas foram mortas nas vilas de Shaghoureit, Qastoun e Al-Laj, em Hama.

Na província de Deir el-Zor, no leste, tropas do regime bombardearam a cidade de Al-Ashara, informou o Observatório, matando dois civis e um combatente rebelde. Confrontos em Deir el-Zor também mataram seis soldados do governo. Uma explosão na cidade de Idlib deixou um civil e quatro soldados do governo mortos.

No domingo, pelo menos 63 pessoas foram mortas em todo o território sírio - 38 civis, 19 soldados e seis combatentes rebeldes - segundo dados do Observatório.

Mais de 14.100 pessoas foram mortas desde o início do levante contra o governo do presidente Bashar Assad, iniciado em março do ano passado. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Síriaataquesmortosviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.