Violência no Congo deixa um milhão de refugiados

Cerca de 1 milhão de pessoas tiveram de deixar suas casas na República Democrática do Congo nas últimas semanas, por causa da violência entre rebeldes da etnia tutsi e tropas do governo, informou ontem a agência para refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU). A ONU também anunciou que investiga acusações de que campos de refugiados foram saqueados e incendiados.Os refugiados são procedentes dos arredores da cidade de Goma, Estado de Kivu do Norte, e estão morando em campos próximos da fronteira com Ruanda, onde não há água e comida para todos.A União Européia (UE) disse que pretende enviar ajuda humanitária para os civis e estuda a possibilidade de mandar mais tropas de paz para o país. A UE também pediu a convocação de um encontro emergencial para tentar resolver o conflito. Funcionários de agências internacionais descreveram a situação em Kivu do Norte como catastrófica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.