Violência no Iraque matou pelo menos 1.100 pessoas em fevereiro, diz ONU

A Missão da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Iraque afirmou que pelo menos 1.100 pessoas foram mortas em episódios de violência no país mataram em fevereiro. Desse total, mais de 600 pessoas são civis.

Estadão Conteúdo

01 Março 2015 | 08h57

Em declaração realizada neste domingo, a Missão de Assistência da ONU no Iraque (Unami, na sigla em inglês) informou que 611 civis estão entre os 1.103 mortos no mês passado, enquanto o restante das vítimas fatais seriam membros das forças de segurança. A Unami afirmou ainda que pelo menos 2.280 pessoas foram feridas, sendo 1.353 civis. Segundo estimativas da entidade, em janeiro, pelo menos 1.375 pessoas foram mortas nos confrontos.

Segundo a ONU, a cidade mais afetada foi a capital, Bagdá, com 329 civis mortos e 875 feridos. De acordo com os números da missão de assistência, o ano passado foi o mais mortal no Iraque desde 2006-2007, com um total de 12.282 pessoas mortas e 23.126 feridos.

Os números da ONU, entretanto, não incluem dados de territórios controlados pelo grupo extremista Estado Islâmico, que correspondem a cerca de um terço do Iraque. O Estado Islâmico e outros insurgentes sunitas tomaram o controle de vastas áreas no oeste e norte do Iraque. A ofensiva dos militantes tem colocado o país em suas piores crises desde a retirada das tropas norte-americanas. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Iraque violência ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.