Violência no Iraque se autoalimenta e dificulta estabilidade

O diretor de Inteligência Nacional dos EUA, John Negroponte, disse neste sábado que a violência no Iraque "se autoalimenta", o que dificulta os esforços para estabilizar o país.Em discurso na Universidade de Harvard, em Boston, Negroponte afirmou ainda que "a violência entre xiitas e sunitas se propaga para uma ampla gama de grupos e setores".Para o diretor de Inteligência, a violência é o grande desafio do primeiro-ministro do Iraque, Nouri al-Maliki, em seus esforços para melhorar a situação de todos os iraquianos.Negroponte, que foi embaixador dos EUA no Iraque após a invasão do país, iniciada em março de 2003, disse que a chave para conseguir uma democracia estável está nos próprios iraquianos. Eles terão que "resolver seus compromissos, firmar acordos em problemas importantes e acatar a autoridade do Estado", afirmou.Segundo números do Ministério do Interior iraquiano, cerca de 1.850 civis iraquianos foram vítimas da violência no mês passado, 44% a mais que em outubro.Negroponte acrescentou que a organização Al Qaeda mantém esforços por desestabilizar o Governo iraquiano. Por isso, "as forças da coalizão serão um fator fundamental para resistir à erosão de autoridade", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.