Julio Cesar Aguilar/AFP
Julio Cesar Aguilar/AFP

Violência no México deslocou 160 mil em 2011, diz relatório

Guerras envolvendo cartéis de drogas e Forças Armadas são o principal motivo do deslocamento

estadão.com.br,

20 de abril de 2012 | 17h34

CIDADE DO MÉXICO - Pelo menos 160 mil pessoas deixaram suas casas no México em 2011 devido à violência ligada ao narcotráfico, apontou um relatório divulgado nesta quinta-feira, 19, pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

Veja também:

linkComercial com crianças 'criminosas' causa polêmica no México

linkMéxico é oitavo colocado no ranking de países com maior impunidade em crimes contra jornalistas

O alto comissário do organismo, Antonio Guterres, disse durante a apresentação do documento que os deslocamentos foram causados principalmente por brigas pelo controle de rotas de drogas entre cartéis.

Já em 2012, calcula-se que pelo menos 24.500 pessoas tenham deixado Ciudad Juárez, a mais violenta do país, localizada na fronteira com os Estados Unidos.

As maiores taxas de deslocamento aconteceram nos estados de Chihuahua, Tamaulipas, Nuevo León, Durango, Sinaloa, Michoacán e Guerrero, de acordo com o relatório.

Desde que Felipe Calderón assumiu a presidência, em dezembro de 2006, as Forças Armadas passaram a atuar no combate ao narcotráfico, iniciando uma guerra interna que gerou a onda de violência no país. A ONU diz que o governo mexicano não procurou apoio de organismos internacionais "para estabelecer uma resposta que esteja de acordo com a norma internacional".

Com Ansa

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.