Violência no Sudão do Sul deixa 115 mortos em 5 dias

Confrontos violentos ocorreram entre forças do governo de Cartum e rebeldes do Sudão do Sul

AE, Agência Estado

24 de abril de 2011 | 15h08

JUBA - Pelo menos 115 pessoas morreram em cinco dias de confrontos entre forças do governo e milicianos rebeldes do Sudão do Sul, informaram autoridades locais neste domingo, 24. A violência causa preocupação com a instabilidade da região restando pouco mais de dois meses para a formalização da independência da região.

 

O general de brigada Malaak Ayuen, diretor do Departamento de Informação do Exército do Sudão do Sul, disse que o sábado foi o dia mais violento, com 57 mortos e dezenas de feridos nos choques entre as forças regulares e os soldados leais ao general rebelde Gabriel Tanginye.

 

No decorrer dos últimos cinco dias, segundo Ayuen, os soldados do Sudão do Sul também engajaram-se em combates com milicianos leais a outro líder rebelde, Peter Gatdet. Segundo ele, 48 pessoas morreram nos confrontos. Ayuen não forneceu detalhes sobre quantos dos mortos eram civis, rebeldes ou soldados regulares.

 

Desde janeiro, quando a população do Sudão do Sul, optou em referendo por separar-se da Cartum e fundar um novo país, centenas de pessoas morreram em episódios de violência no território.

 

A formalização da secessão é esperada para julho, mas ainda há uma série de questões pendentes, como a partilha das receitas com petróleo, a situação das minorias que viverão nos dois lados da fronteira e o controle de Abyei, uma fértil área fronteiriça próxima de grandes poços de exploração de petróleo.

 

Com AP

Tudo o que sabemos sobre:
Sudão do Sulviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.