Violência no Timor Leste pode se espalhar, alerta ONU

Um diplomata da Organização das Nações Unidas (ONU) alertou, neste sábado, 3, que a violência poderá aumentar e se espalhar para os campos de refugiados que procuram escapar da violência em Díli, capital do Timor Leste. O primeiro-ministro, Mari Alkatiri, atribuiu alguns ataques a ex-membros das milícias pró Indonésia, que devastaram o Timor Leste em 1999 após votação em que a população optou pela separação do país da Indonésia.O ministro das Relações Exteriores, Jose Ramos Horta, foi nomeado ministro da Defesa numa tentativa de acalmar a tensão. Pelo menos 30 pessoas morreram desde que os conflitos começaram no mês passado entre as facções militares e gangues rivais no país. Calcula-se que 100 mil residentes migraram para mais de 30 campos de refugiados em Díli ou abandonaram a cidade. Eles enfrentam novas ameaças à sua segurança, com informações de que a tensão é crescente e de que há brigas nos campos, disse Gregory Garras, chefe da equipe da agência de ajuda de emergência aos refugiados das ONU no Timor Leste.O ministro de Relações Exteriores da Austrália, Alexander Downer, disse ser necessária a presença de uma "polícia internacional", sob supervisão das ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.