Violência racial na Inglaterra deixa 140 feridos

As autoridades restabeleceram nesta madrugada a calma nas ruas da cidade de Bradford no norte da Inglaterra, depois de uma noite de violência racial que deixou 140 feridos - 120 dos quais, policiais. Foram detidos 13 brancos e 23 pessoas de origem asiática. Mais de 900 policiais enfrentaram por nove horas centenas de jovens asiáticos armados com bombas incendiárias, pedras, tijolos, tacos de beisebol, garrafas e martelos, num dos piores distúrbios raciais no país nos últimos anos e o quarto em menos de dois meses no norte da Inglaterra.A multidão ergueu barricadas e pôs fogo em dezenas de carros, lojas e outros estabelecimentos, incluindo um clube ligado ao governista Partido Trabalhista e outro ao Partido Conservador. Jovens roubaram 20 carros de uma loja da BMW e os incendiaram. Houve confrontos violentos entre membros das duas comunidades no centro.Bradford é uma cidade industrial de aproximadamente 500.000 habitantes, 20% dos quais são asiáticos ou descendentes de imigrantes de Bangladesh, Paquistão, Índia e Sri Lanka que ali se fixaram nos anos 50. Era considerada um exemplo de integração multicultural no país.Testemunhas disseram que a violência começou quando um grupo de homens brancos deixou um pub gritando slogans racistas contra uma multidão de jovens de origem asiática que ia tomar parte numa manifestação contra uma passeata da ultradireitista Frente Nacional (FN).O Ministério do Interior proibira a marcha da FN - agrupamento antiimigrante e defensor da superioridade da raça branca - para evitar a repetição dos violentos distúrbios raciais ocorridos recentemente em Oldham, Burnley e Leeds, no norte da Inglaterra. Mas militantes da Frente Nacional planejavam desfilar pela cidade.Os distúrbios deslocaram-se do centro para o bairro de Manningham, cuja população é de origem asiática. A polícia pediu reforços a comunidades vizinhas porque o número de manifestantes estava a ponto de superar seu efetivo. "A severidade das desordens e da violência foram chocantes", disse o comissário adjunto da polícia do condado de West Yorkshire, Greg Wilkinson."Ninguém esperava esse tipo de problema nessa escala. Bradford ficou destruída. Não sei como vamos nos recuperar disso tudo", comentou Mohammed Amram, da Comissão por Igualdade Racial. O bispo anglicano da cidade, reverendo David Smith, disse que os jovens envolvidos na violência estão com raiva e frustrados. "Precisamos conversar com eles e ouvir o que têm a dizer."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.