Violência religiosa deixa dezena de mortos na Nigéria

A violência entre cristãos e muçulmanosvoltou a explodir na Nigéria, onde aterrorizadas testemunhas disseram que dezenas de pessoas foram mortas na cidade de Jos, no norte do país.Vários templos foram incendiados e os moradorestentavam fugir às pressas de suas casas. O presidente Olusegun Obasanjo mobilizou o Exército para tentar acabar com os confrontos e fez um apelo por paz durante um emotivo discurso narádio estatal. As autoridades impuseram toque de recolhernoturno na cidade. "Fico pensando que tipo de muçulmanos e cristãos saem por aíqueimando igrejas e mesquitas, lugares onde Deus é louvado", afirmou Obasanjo, qualificando os radicais de "bárbaros".A violência começou no início da noite de sexta-feira, na hora das orações muçulmanas, e continuava hoje sem sinal dediminuição, disseram testemunhas. Duas igrejas foram queimadasna própria noite de sexta-feira no bairro de classe média deKwararafa (majoritariamente muçulmano), informou o jornal ThisDay, de Lagos.Segundo outras versões, também foi queimada uma mesquita nobairro de Nassarawa, onde vivem cristãos e muçulmanos. "Ponham-nos em suas preces", apelou Mary Dung, uma moradoracristã de Jos, numa conversa telefônica com jornalistas. Colunasde fumaça saíam de casas incendiadas em várias partes da cidade(situada cerca de mil quilômetros a nordeste da capital nigeriana, Lagos), assinalou Mary, acrescentando que bandos dejovens cristãos e muçulmanos estavam trocando tiros em sua rua. "Um dos meus vizinhos foi baleado na minha frente", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.