Violência sectária deixa ao menos outros 18 mortos no Iraque

Carro-bomba deixa 14 mortos em cidade de maioria xiita; explosão em bairro sunita de Bagdá mata 4 pessoas

BAGDÁ, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2012 | 03h01

Um atentado deixou ao menos 14 mortos e 23 feridos em Tal Afar, uma cidade de maioria xiita a 420 quilômetros de Bagdá. A localidade era um dos focos da insurgência contra a ocupação americana no Iraque (2003-2011). Após a retirada das tropas dos EUA, em dezembro, a violência sectária voltou a crescer no país.

Um carro-bomba explodiu em frente a um restaurante no centro da cidade. Instantes depois, um suicida detonou explosivos perto dos cidadãos que se reuniram para ver os destroços do veículo.

Autoridades locais atribuíram o ataque à filial da Al-Qaeda no Iraque, mas nenhum grupo assumiu a autoria. Tal Afar abriga árabes sunitas, turcomenos xiitas e curdos. Forças de segurança impuseram um toque de recolher na localidade.

"As explosões de hoje (ontem nos lembram do passado de violência e sectarismo. Tal Afar ainda é uma área ameaçada pela Al-Qaeda e insurgentes a caminho da Síria", disse o prefeito da cidade, Abdul Abbas al-Obedi. "Esse ataque covarde tinha como alvo apenas civis. Não havia policiais no restaurante."

Pela manhã, o ministro de Construção e Moradia iraquiano, Mohammed al-Daraji, saiu ileso de um atentado com carro- bomba que matou 4 pessoas e deixou 14 feridas no oeste de Bagdá. As vítimas eram moradoras de uma área sunita.

O Iraque vive uma escalada da violência desde a retirada das tropas americanas, em 18 de dezembro, e a emissão de uma ordem de detenção contra o vice-presidente sunita, Tariq al-Hashemi, por supostos crimes de terrorismo, no dia 19 de dezembro. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.