Violência sectária deixa ao menos seis mortos na Nigéria

Uma multidão de cristãos atacou muçulmanos no sul da Nigéria nesta terça-feira, incendiando mesquitas e matando diversas pessoas em meio a um surto de violência antiislâmica provocado pelos violentos protestos contra as caricaturas do profeta Maomé ao longo do último fim de semana.Moradores e testemunhas disseram que diversos muçulmanos procedentes do norte do país foram espancados até a morte por seus agressores e duas mesquitas foram incendiadas em Onitsha, uma cidade majoritariamente cristã do sul da Nigéria."A mesquita em frente ao mercado central foi incendiada e eu vi pelo menos seis corpos espalhados pelas ruas", disse Izzy Uzor, um morador de Onitsha. "Toda a cidade está em frenesi. As pessoas correm para todos os lados", relatou.Policiais e outras autoridades locais não foram imediatamente encontrados para comentar os episódios de violência antiislâmica.Os distúrbios de hoje pareciam ser uma represália à violência direcionada aos cristãos em Maiduguri, uma cidade predominantemente muçulmana do norte nigeriano onde 18 pessoas morreram no último sábado, quando islâmicos protestando contra as caricaturas de Maomé incendiaram igrejas e atacaram cristãos.No Egito, a polícia deteve 15 pessoas suspeitas de participação em episódios de violência entre cristãos e muçulmanos em Ezzbat Wassif, ao sul do Cairo.Pelo menos 11 pessoas ficaram feridas em confrontos sectários registrados ontem à noite. A polícia isolou a cidade e organizou patrulhas para procurar suspeitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.